Justiça

Prazo de 15 dias

CNJ quer informações da corregedoria de Mato Grosso sobre ‘adoção na passarela’

Evento, em que crianças desfilaram para interessados em adoção, teve autorização judicial e apoio da OAB

adoção
Humberto Martins STJ Crédito: Flickr/STJ

A polêmica envolvendo o desfile de 18 crianças com roupas, calçados e maquiagens doados por lojas do Shopping Pantanal no evento batizado de “adoção na passarela” chegou ao Conselho Nacional de Justiça.

O corregedor nacional de Justiça, ministro Humberto Martins, deu um prazo de 15 dias para a Corregedoria Geral de Justiça do estado de Mato Grosso prestar esclarecimentos sobre o evento, que ocorreu em um shopping em Cuiabá na última terça-feira (21/5).

O desfile foi autorizado pela juíza de Direito da 1ª Vara Especializada da Infância e Juventude, Gleide Bispo Santos, e teve o apoio da Comissão de Infância e Juventude da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Mato Grosso.

A intenção do ato, de acordo com as redes sociais dos organizadores, era apresentar crianças e adolescentes para possíveis pretendentes a adotá-las. O desfile, porém, foi criticado nas redes sociais.

Ao instaurar o procedimento, o ministro Humberto Martins considerou a competência da Corregedoria Nacional de Justiça para receber e denúncias de qualquer interessado relativas aos magistrados e tribunais e aos serviços judiciários auxiliares (artigo 8º, I, do Regimento Interno do Conselho Nacional de Justiça).


Faça o cadastro gratuito e leia até 10 matérias por mês. Faça uma assinatura e tenha acesso ilimitado agora

Cadastro Gratuito

Cadastre-se e leia 10 matérias/mês de graça e receba conteúdo especializado

Cadastro Gratuito