Do Supremo

STF

Celso de Mello autoriza inquérito contra Mercadante e Aloysio Nunes

A pedido do PGR, investigação vai correr sob sigilo judicial

O ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante, fala à imprensa, no Palácio do Planalto (Wilson Dias/Agência Brasil)

O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), deferiu pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e autorizou, nesta terça-feira (22/09), a instauração de inquéritos para investigar o ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante, e o senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), suspeitos de crimes eleitorais, com base em delação premiada do empresário Ricardo Pessoa, dono da UTC Engenharia.

Os dois inquéritos tinham sido distribuídos ao ministro Celso de Mello pela via normal do sorteio, já que não estão diretamente ligados ao esquema de corrupção na Petrobras desbaratado na Operação Lava Lato. Mas tinham sido enviados, inicialmente, ao relator dos processos da Lava Jato.

O procurador-geral Rodrigo Janot recomendou que os inquéritos corram em sigilo, no que foi atendido pelo ministro-relator.

Na delação premiada, o empresário Ricardo Pessoa admitiu ter repassado R$ 500 mil à campanha de Mercadante ao governo de São Paulo, em 2010, e a mesma quantia para a campanha ao Senado de Aloysio Nunes, naquele mesmo ano.

Leia a íntegra da decisão do ministro Celso de Mello


Cadastre-se e leia 10 matérias/mês de graça e receba conteúdo especializado

Cadastro Gratuito