Justiça

CNJ

Brasil tem 5.754 casos de Covid-19 e 95 óbitos no sistema prisional, segundo CNJ

Número inclui presos e servidores de presídios; Distrito Federal lidera ranking de casos

crime organizado Covid-19 sistema prisional
Crédito: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Até o dia 15 de junho, foram registrados 5.754 casos confirmados de Covid-19 nas penitenciárias brasileiras, e 95 óbitos, de acordo com dados do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Os dados apontam que, entre 15 de maio e 15 de junho, cresceu em 180% o número de casos confirmados, .

Em relação somente às pessoas presas, foram registrados 2.605 casos confirmados e 54 óbitos, e o maior número de casos está no Distrito Federal, que já registrou 885 casos. O número de mortes, porém, é maior em São Paulo e no Rio de Janeiro, que já somam 13 e 12 mortes, respectivamente.

Já em relação a servidores, o número de casos é de 3.149, com 41 óbitos confirmados. A maioria dos casos relacionados a servidores é no estado do Pará, que concentra 554 casos. São Paulo também registra o maior número de mortes de servidores, com 16 óbitos confirmados. Em seguida, vem o Maranhão, com 7 mortes.

Seja de servidores ou presos, o estado do Mato Grosso do Sul é o que concentra menor número de casos: dois presos e dois servidores.Os dados foram divulgados pelo CNJ nesta terça-feira (23/6), por meio de uma plataforma que vai reunir informações sistematizada e atualizadas sobre a Covid-19 no sistema prisional. O próprio órgão alerta, entretanto, que deve ser levado em conta a testagem de cada unidade prisional – número que ainda não está disponível

O primeiro caso de Covid-19 entre presos ocorreu no dia 8 de abril, enquanto a primeira morte ocorreu no dia 15 do mesmo mês, no Rio de Janeiro.

O CNJ também publicizou informações sobre a doença no sistema socioeducativo. Por enquanto, houve 239 casos confirmados da Covid-19 entre adolescentes privados de liberdade, e nenhuma morte. Já em relação a servidores, a situação é bem mais crítica: foram 678 casos confirmados e 11 óbitos.