Justiça

Visita

A ministros do TSE, Bolsonaro diz que ‘às vezes a gente se excede’

Após vencer pleito com discurso em que colocava sob suspeita a Justiça Eleitoral, presidente eleito foi recebido na Corte

Bolsonaro esteve no TSE nesta terça-feira. / Crédito: Gabriela Korossy/ Câmara dos Deputados

Após vencer as eleições com um discurso em que colocava sob suspeita a Justiça Eleitoral, o presidente eleito Jair Bolsonaro visitou, nesta terça-feira (13/11), o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e não tratou de suas declarações contrárias ao sistema eletrônico de votação, adotado no país desde 1996.

No encontro fechado, que contou com  a presença dos sete ministros titulares da Corte, as dúvidas sobre as urnas eletrônicas não foram tratadas diretamente, mas Bolsonaro, segundo relatos, disse que, “no calor dos acontecimentos, às vezes a gente se excede”.

A presidente da Corte, ministra Rosa Weber, deu uma Constituição de presente para Bolsonaro, que se colocou à disposição para ajudar o tribunal no que for possível.

Nos pouco mais de 30 minutos que ficou no TSE, Bolsonaro reuniu-se com os magistrados no gabinete da Presidência e, depois, foi levado por eles para conhecer o plenário do tribunal, onde será sua diplomação, no dia 10 de dezembro.

O encontro ocorreu no início da tarde desta terça-feira, um dia depois de técnicos da Corte apontarem, em parecer, mais de 20 “inconsistências” na prestação de contas do político nas eleições. A campanha, agora, terá três dias para apresentar documentação complementar e prestar esclarecimentos.

No TSE, Bolsonaro não concedeu entrevista à imprensa, ele estava acompanhado do filho Carlos Bolsonaro, vereador no Rio de Janeiro, do general Augusto Heleno, indicado para o Gabinete de Segurança Institucional, e Gustavo Bebiano, vice-presidente do PSL e cotado para assumir a Secretaria-Geral da Presidência.

No Tribunal Superior do Trabalho, para onde ele foi logo depois depois, o presidente eleito relatou que teve uma conversa amigável com os ministros e que está disposto a aperfeiçoar o processo democrático.

“Conversei com a ministra Rosa Weber, bate-papo tranquilo com ela, falei que estamos prontos, no Executivo, para ajudar em qualquer proposta para aperfeiçoar o processo democrático, porque o voto que é realmente acertado que pode mudar o destino do Brasil democraticamente”, disse.

Bolsonaro também negou ter ciência da suposta compra, por empresas, de pacotes para disseminação de mensagens contrárias ao PT. E disse que esse tema não foi abordado no encontro. “Não chegamos a conversar disso não. É normal, eu nunca impulsionei nada. A notícia plantada foi para me prejudicar”, afirmou.

Depois das visitas ao TSE e ao TST, Bolsonaro ainda irá ao Superior Tribunal Militar. Semana passada, ele já havia feito uma visita institucional ao Supremo Tribunal Federal e ao Superior Tribunal de Justiça.


Você leu 1 de 3 matérias a que tem direito no mês.

Login

Cadastre-se e leia 10 matérias/mês de graça e receba conteúdo especializado

Cadastro Gratuito