Jotinhas

Direito

Paulo Bonavides morre aos 95 anos

Conselho Federal da OAB e estado do Ceará declararam luto oficial por três dias. Ministros lamentam a morte do jurista

O jurista Paulo Bonavides / Crédito: Reprodução

O advogado Paulo Bonavides, professor emérito da Universidade Federal do Ceará (UFC) e um dos maiores constitucionalistas do país, morreu aos 95 anos nesta sexta-feira (30/10). A causa da morte não foi divulgada.

O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) declarou luto oficial por três dias. O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), também declarou luto oficial no estado. Ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Superior Tribunal de Justiça (STJ) se manifestaram pela perda de Bonavides:

Marco Aurélio, ministro do STF:

“Paulo Bonavides, uma vida dedicada à Academia. Mestre maior de tantos mestres. A prata jamais o seduziu. Artífice do Direito na concepção técnica e humanística, sempre o tomando como a reger a vida em sociedade. Os ensinamentos ministrados são eternos.”

Dias Toffoli, ministro do STF:

“Os livros de Paulo Bonavides introduziriam no país uma série de temas que eram centrais na doutrina alemã e norte-americana, ajudando a reconstruir o constitucionalismo após 1988. Grande parte da jurisprudência constitucional do Supremo Tribunal Federal inspira-se em suas teorias. Ele foi um jurista que conseguiu concretizar a célebre expressão “o universal pelo regional”. Paraibano de Patos, cearense da universidade federal e jurista do mundo, reconhecido por tantos títulos de doutorado honorário no exterior. O Brasil perde um grande patriota”, Dias Toffoli, ministro do STF e coordenador da “Coleção Paulo Bonavides”, da Editora Forense, ao lado do professor Otavio Rodrigues.

Humberto Martins, presidente do STJ:

“Paulo Bonavides foi um dos maiores constitucionalistas dos nossos tempos! Perde o Brasil um notável jurista e exemplo ético de cidadão. Tivemos vários encontros em Alagoas, oportunidade em que presidia a OAB! Permanecem suas lições e influência no campo jurídico, consagradas e ao mesmo tempo atuais, capazes de orientar os operadores do Direito nos desafios que se apresentam ao nosso país.”

José Levi, advogado-Geral da União:

“Direito Constitucional brasileiro perde um dos seus maiores expoentes. Ficam as numerosas obras e ensinamentos. Que esteja na Paz Eterna e que seus familiares tenham o conforto das melhores lembranças.”