Jotinhas

Entrevista

‘É maldoso quem fala que estou de férias’, diz Bolsonaro após ausência na BA durante chuvas

Presidente, que manteve folga e não foi à Bahia em meio às fortes chuvas, negou uso político de sua internação: ‘Está de brincadeira comigo, né?”

O presidente Jair Bolsonaro tem alta do Hospital Vila Nova Star - Crédito: Reprodução/Twitter

O presidente Jair Bolsonaro disse, em entrevista coletiva nesta quarta-feira (5/1), que não tirou férias. Ele foi criticado por ter mantido as folgas de fim de ano em Santa Catarina, mesmo diante da situação de calamidade na Bahia, em meio às chuvas que deixaram dezenas de mortos e mais de 16 mil desabrigados no estado.

“Fizemos coisas fantásticas ao longo desses dias que, dificilmente, outro governo estaria fazendo. O presidente não tem férias. É maldoso quem fala que estou de férias. Eu dou minhas fugidas de jet ski. Dou lá uns cavalos de pau no carro no Beto Carreiro”, disse Bolsonaro.

É praxe que presidentes compareçam às regiões quando ocorreram tragédias naturais e façam um sobrevoo nas localidades mais atingidas. Bolsonaro, entretanto, continuou em férias no litoral de Santa Catarina, onde estava desde o dia 27 de dezembro. Lá, passeou de jet ski e foi ao parque “Beto Carrero World”. Ele alegou ter enviado quatro ministros à Bahia e destinado verbas para a reconstrução das áreas mais atingidas.

O descanso no Sul foi interrompido porque o presidente teve um quadro de  obstrução intestinal e foi internado em São Paulo na madrugada da última segunda-feira (3/1).

Ele postou fotos no hospital durante esse período, mas negou fazer uso político da internação. O presidente teve alta nesta quarta-feira e falou com a imprensa na saída do hospital. “[Dizer] que estou me vitimizando? Está de brincadeira comigo, né?”, afirmou. “Isso é um desrespeito ao doutor Macedo (médico Antônio Macedo). Querem politizar uma tentativa de homicídio”, disse o presidente.

Na entrevista coletiva, Bolsonaro criticou a decisão da Anvisa de pedir o cancelamento de cruzeiros em meio a surtos durante cruzeiros. “Lamento a decisão da Anvisa no tocante aos cruzeiros”, disse.

O presidente foi questionado ainda sobre a situação da ministra Flavia Arruda (Secretaria de Governo), cuja situação tem ficado fragilizada diante de críticas de parlamentares.  “Ninguém ligou para mim, ninguém pede a cabeça de ministro como pedia no passado”, afirmou, completando:  “Onde a Flavia Arruda está errando? Desconheço. Se por ventura estiver errando, eu chamo e converso . E ela não será demitida jamais pela imprensa”.