Jotinhas

Lava Jato

MPF pede condenação de Lula por 9 corrupções passivas e 7 lavagens de dinheiro

Em alegações finais de caso do Instituto Lula, também há pedido para que petista destine R$ 75 milhões para Petrobras

Instituto Lula
Crédito: Instituto Lula

Em alegações finais sobre o caso envolvendo o Instituto Lula, o Ministério Público Federal (MPF) pede que Lula seja condenado por 9 vezes pelo crime de corrupção passiva qualificada e outras 7 vezes pelo crime de lavagem de dinheiro – junto com o advogado Roberto Teixeira.

Os procuradores da República pedem também que Lula repare o dano causado à Petrobras no montante de R$ 75.434.399,44, correspondente ao valor total da porcentagem da propina paga pela Odebrecht em razão das contratações dos Consórcios Conpar, Refinaria Abreu e Lima, Rio Paraguaçu e outros.

Segundo o MPF, em 2010, Marcelo Odebrecht , de modo consciente e voluntário, ofereceu e prometeu vantagem indevida a Lula, em razão de sua função de presidente da República, em valor equivalente, à época, à quanta aproximada de R$ 12,4 milhões, empregado na compra de imóvel para a instalação do futuro
Instituto Lula.

Além disso, os procuradores da República afirmam que Lula e o advogado Roberto Teixeira firmaram um contrato de locação simulado do apartamento 121 no edifício onde Lula morava. O contrato foi assinado entre Glaucos da CostaMarques e Marisa Letícia, esposa de Lula, mas “jamais houve o pagamento de aluguéis, o que evidentemente desnatura por completo a relação locatícia, restando apenas o intento dos acusados de disfarçar que o uso do apartamento por Lula se dava porque o imóvel, de fato, era seu”.

Leia a íntegra das alegações finais do MPF na ação penal 5063130-17.2016.4.04.7000.


Você leu 1 de 3 matérias a que tem direito no mês.

Login

Cadastre-se e leia 10 matérias/mês de graça e receba conteúdo especializado

Cadastro Gratuito