Jotinhas

Flexibilização econômica

Flexibilização: Eventos ganham sinal verde em alguns estados e capitais

Maioria dos gestores, contudo, mantém restrições a shows e festas que cobram ingresso do público

Nova fase de flexiblização sinaliza retomada de eventos. Em Goiânia, foram liberados eventos sociais. Foto: Prefeitura de Goiânia

Depois da reabertura quase total do comércio e do setor de serviços, aos poucos o público é liberado a sair da modalidade “drive-in” e participar de forma presencial de reuniões, eventos e festas sociais. Na primeira quinzena de Maio, todas as regiões do país mantiveram as medidas de flexibilização e sinalizaram a  reabertura do setor de eventos e atividades culturais durante a pandemia.

Brasília liberou a realização de festas de casamentos, aniversários, batizados e outros eventos sociais, desde que atendam a uma série de protocolos. O Distrito Federal manteve, no entanto, a proibição para eventos que dependam de autorização do governo do Distrito Federal, incluindo eventos corporativos.

No Mato Grosso do Sul também foi permitida a realização de eventos, reuniões e festividades em clubes, salões, centros esportivos e afins, com 50% da capacidade e outros protocolos sanitários de prevenção à Covid-19. 

Os eventos sociais e corporativos foram liberados na capital de Goiás, Goiânia, também com várias restrições. A única medida restritiva editada pelo estado goiano esta semana foi para a região do Araguaia, que recebe muitos turistas para pesca, acampamento e outras atividades nesta época do ano. 

Na região Norte, a autorização para eventos privados com a presença do público foi dada no Pará, inclusive nos espaços fechados, com no máximo 200 pessoas.  Os paraenses também poderão ficar nos restaurantes e bares até 1h da madrugada, com apresentação municipal e sem limitação de horário para a venda de bebidas alcoólicas.

A capital amazonense, Manaus, chegou a publicar medida que prorrogou a suspensão de concessão de licenças da Prefeitura para eventos públicos, mas voltou atrás e revogou o ato. Entretanto, os eventos só podem ocorrer com capacidade e horários reduzidos e sem cobrar ingresso do público.

No Nordeste, o estado da Bahia retirou a proibição para eventos profissionais com no máximo 50 pessoas. E o Maranhão, além de liberar reuniões presenciais e eventos, abrandou as regras para apresentações musicais em bares e restaurantes.

Já no Sudeste, o estado de Minas Gerais criou o selo “Evento Seguro”  destinado às atividades culturais e eventos que seguem os protocolos de prevenção ao coronavírus, como forma de estímulo à retomada do setor.

O governo de Santa Catarina já havia liberado eventos sociais, dependendo da situação epidemiológica das regiões do estado. E o Rio Grande do Sul, que voltou a ter uma alta no número de casos esta semana, mantém até a meia noite desta sexta-feira (15) a fase vermelha que proíbe a realização de eventos.

Ainda no Sul, o governo gaúcho anunciou uma simplificação dos protocolos para atividades econômicas e deu autonomia para os municípios adotarem protocolos regionais, desde que sigam o padrão mínimo estabelecido pelo estado, que inclui proibição de aglomerações. O novo modelo valerá a partir deste fim de semana.

Outros estados preferiram manter a cautela e editar normas que prorrogam a suspensão para essas atividades. É o caso do Piauí, do Rio Grande do Norte, Amapá e Paraná, que também preservaram restrições para atividades culturais e locais de entretenimento e lazer.

As medidas relacionadas aos efeitos da pandemia nas áreas de saúde, economia, tributos, assistência social, entre outros, são acompanhadas diariamente pelo sistema Jota Tracking em todos os estados e capitais do país.