Jotinhas

TRACKING

Estados recuam na flexibilização em meio à retomada da economia

Com o avanço do contágio pelo coronavírus, alguns estados desaceleraram plano de retomada das atividades

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

A reabertura dos diversos setores da economia segue em compasso de espera e atrelada aos novos números de infectados e de óbitos, na maior parte dos estados e capitais. Os últimos dias foram de medidas restritivas em estados de todas as regiões do país.

Sudeste

Em Minas Gerais, o governo ampliou as medidas restritivas aos municípios, como afastamento do trabalho de pessoas com sintomas respiratórios leves, impedimento de aglomeração em estabelecimentos comerciais e industriais, entre outros.

A capital mineira, Belo Horizonte, retomou à fase de abertura apenas de atividades essenciais nesta segunda (29/6). E o prefeito, Alexandre Kalil, já afirmou que pretende sancionar projeto aprovado na semana passada pela Câmara Municipal, que obriga a utilização de máscaras de proteção no município.

Também o estado de São Paulo irá ampliar a quarentena até 14 de julho. Nove regiões do estado estão na fase vermelha de restrição total de atividades não essenciais. Já a capital e cidades do ABC poderão reabrir bares, restaurantes e salões de beleza a partir do dia 6 de julho.

Sul

No Paraná, o governo instalou um comitê que será responsável por elaborar um plano de retorno às aulas. Em Santa Catarina, foi publicada uma resolução que permite a manutenção das aulas não presenciais até o fim do ano. Também foi aberta a possibilidade de manter um sistema híbrido, com atividades remotas e presenciais, até se definir uma data de retorno à escola.

Centro-Oeste

Representantes da Educação de Goiás se reuniram na semana passada para apresentar planos de ação para o retorno às aulas presenciais. Ainda não há data definida para a volta à escola, mas os planos de retomada serão entregues às autoridades até 30 de junho.

No Mato Grosso do Sul, o governo criou um programa para monitorar os riscos à saúde e a recuperação das atividades econômicas. A capital Campo Grande  decretou por mais 30 dias o toque de recolher a partir das 22h.

Já em Mato Grosso foi publicado decreto que considera como essenciais as atividades de contabilidade e hotelaria. Em outro decreto, o governo estadual aumentou as restrições aos municípios que apresentaram risco alto na classificação de contágio da Covid-19.

O governo Distrito Federal decretou estado de calamidade nesta segunda-feira (29/6). Apesar disso, autorizou a retomada de treinamentos dos clubes de futebol profissional e sobre a abertura de clubes recreativos no Distrito Federal. Também neste começo de semana, o governador anunciou um calendário com a previsão de retomada dos serviços no DF, que pode começar na próxima semana, com a reabertura de salões de beleza e academias.

Norte

O governo do Amazonas reabriu as policlínicas para a realização de consultas ambulatoriais que estavam suspensas. Foi retomada essa semana o atendimento ambulatorial em maternidades e na Fundação de Medicina Tropical.

Também serão retomadas as cirurgias eletivas de ortopedia e urologia do Hospital Adriano Jorge (FHAJ). As consultas com os pacientes que tiveram o procedimento cirúrgico suspenso já estão sendo agendadas.

O governo estadual manteve o plano de retomada de algumas atividades, mas bares, casas de show e eventos continuam sem data programada para voltar.

No Acre, foi lançado programa para reabertura gradual das atividades econômicas. Os estabelecimentos comerciais só poderão funcionar se atenderem aos critérios dos níveis de classificação de risco, que foram definidos para três regiões do estado.

A capital de Tocantins, Palmas, proibiu o consumo de bebidas alcoólicas em locais que realizem a venda, tais como: bares,  supermercados, restaurantes, lanchonetes, distribuidoras, lojas de conveniência, inclusive nos estacionamentos, bem como em espaços públicos, a fim de coibir a aglomeração de pessoas e de minimizar os riscos de transmissão do novo coronavírus.

Nordeste

O governo do Maranhão antecipou em dois dias a reabertura de bares e restaurantes de São Luís para este sábado (27/6). Os estabelecimentos devem seguir os protocolos sanitários previstos no plano de retomado do estado.

No Ceará, o governo anunciou na semana passada, novas medidas de apoio à retomada da economia o Rio Grande do Norte prorrogou o isolamento social até 30 de junho e a reabertura para 1º de julho. No entanto, no sábado, novo decreto do governador prorrogou o isolamento até o dia 5 em alguns municípios.

O governo de Sergipe tem um plano de reabertura, mas mantém a fiscalização sobre algumas atividades que devem ficar suspensas até atingir os critérios do programa de retomada.

Na Bahia, as aulas presenciais continuam suspensas até 6 de julho, bem como o transporte intermunicipais em mais de 300 cidades do interior. Na capital, também foram ampliadas as restrições em bairros específicos.

Em Pernambuco, o governo determinou o fechamento do comércio e restringiu, até 5 de julho, a circulação dos moradores de Caruaru e Bezerros, com exceção de deslocamentos para ir a supermercados, farmácias, padarias, postos de combustível e serviços de saúde. Poderão funcionar atividades industriais, construção civil (com 50% da capacidade) e restaurantes para delivery.

O governo de Alagoas detalhou matriz de risco que vai orientar o estado na evolução das fases de distanciamento social. Os critérios de mudança de fase serão avaliados a cada semana, conforme os indicadores, de saúde.