Jotinhas

WhatsApp

Em juizado de Piracanjuba (GO), partes são intimadas via WhatsApp

Experiência começou em março do ano passado

O déficit de servidores no Juizado Especial Cível e Criminal de Piracanjuba (GO) levou o juiz Gabriel Consigliero Lessa, que coordena a unidade, a pensar em uma forma diferente de realizar o atendimento aos jurisdicionados. Lá, a comunicação com as partes do processo são feitas por WhatsApp.

De acordo com informações divulgadas pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), a utilização do aplicativo de mensagens – que é opcional – ocorre desde março de 2015 na cidade goiana. Os despachos do juiz são fotografados e enviados via WhatsApp para partes ou advogados, que têm apoiado a ideia. As intimações também são realizadas virtualmente, evitando que oficiais de Justiça sejam enviados em busca dos intimados.

De acordo com o Conselho, além de tornar o trâmite processual mais rápido, a iniciativa também reduz custos. Isso porque a comunicação via celular diminui a quantidade de impressões e o deslocamento de oficiais de Justiça.

O juizado goiano não é o único que possibilita o atendimento via WhatsApp. No Ceará, por exemplo, os cidadãos podem enviar mensagens à Ouvidoria-Geral do Poder Judiciário por meio do aplicativo, e em Lucas do Rio Verde (MT) as citações da Vara do Trabalho são enviadas pelo celular às partes de processos.


Cadastre-se e leia 10 matérias/mês de graça e receba conteúdo especializado

Cadastro Gratuito