Jotinhas

Lava Jato

Justiça do DF marca depoimento de Lula como réu para fevereiro

O ex-presidente e mais seis pessoas são acusadas de tentar obstruir a Lava Jato

A Justiça Federal do Distrito Federal marcou para o dia 17 de fevereiro o depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, do banqueiro André Esteves, do ex-senador Delcídio do Amaral, e mais quatro pessoas na ação penal que investiga uma trama para evitar a delação premiada do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró.

Eles são acusados de tentar atrapalhar as investigações da Lava Jato. Segundo o despacho do juiz Ricardo Leite, da 10ª Vara Federal, os depoimentos começam no dia 8 de novembro com as testemunhas de acusação apresentadas pelo Ministério Público Federal.

Uma segunda rodada das testemunhas da Procuradoria será realizada no dia 28 de novembro, quando serão tomados depoimentos das defesas.  No dia 17 de fevereiro, também serão ouvidas outras testemunhas de defesa.

Na ação penal nº 42543-76.2016.4.01.3400, Lula, o pecuarista José Carlos Bumlai e Maurício Bumlai são acusados de embaraço à investigação (pena de 3 a 8 anos). Delcídio,  Diogo Ferreira Rodriguez e Edson Siqueira Ribeiro Filho são acusados além de obstrução e por exploração de prestigio (pena de 1 a 5 anos) e patrocínio infiel (6 meses a 3 anos). Esteves foi acusado de embaraço e exploração de prestígio.

O caso veio à tona no final de 2015 quando Delcídio, então líder do governo Dilma no Senado, acabou preso após ser gravado uma conversa na qual ofereceu auxílio financeiro para evitar a colaboração premiada de Cerveró. A ideia seria evitar que fossem delatados pelo ex-diretor. Segundo a Procuradoria, eles teriam atuado para comprar por R$ 250 mil o silêncio de Cerveró.

Inicialmente, o caso estava no STF, mas a cassação de Delcídio e sua perda do foro privilegiado, fez com que o inquérito fosse enviado para a Justiça do DF.

Ao STF, a PGR afirmou que Lula “impediu e ou embaraçou investigação criminal que envolve organização criminosa, ocupando papel central, determinando e dirigindo a atividade criminosa praticada por Delcídio do Amaral, André Santos Esteves, Edson de Siqueira Ribeiro, Diogo Ferreira Rodrigues, José Carlos Bumlai, e Maurício de Barros Bumlai”.

Confira a íntegra do despacho 


Faça o cadastro gratuito e leia até 10 matérias por mês. Faça uma assinatura e tenha acesso ilimitado agora

Cadastro Gratuito

Cadastre-se e leia 10 matérias/mês de graça e receba conteúdo especializado

Cadastro Gratuito