Jotinhas

Flexibilização econômica

Cresce número de estados com flexibilizações pontuais nos serviços

Leve melhora nos índices de Covid promove redução do toque de recolher e ampliação do horário de comércio e serviços

Paraná estende horário de funcionamento do comércio e reduz toque de recolher. Foto: José Fernando Ogura/AEN

Sentindo efeitos, ainda que tímidos, das medidas de restrição e da aplicação da vacina anti Covid na redução dos níveis de contaminação e internação por coronavírus, estados e capitais publicam novas medidas de flexibilização. 

No Sudeste, o estado do Rio manteve as medidas restritivas, principalmente no setor de eventos, mas liberou a permanência nas praias em qualquer dia da semana. Com 90% do grupo de idosos já vacinados, a prefeitura da capital carioca publicou nesta sexta-feira (23) a manutenção, até 3 de maio, da maior parte das medidas restritivas, mas ampliou o horário de funcionamento presencial de algumas atividades consideradas não essenciais, como restaurantes e estabelecimentos de cultura e lazer.

Em São Paulo, o governo estadual registrou pela primeira vez nas últimas semanas queda no número de casos, internações e óbitos por Covid ao mesmo tempo. Amanhã, o setor de serviços poderá reabrir para os paulistas, de acordo com a fase de transição que entrou em vigor no último domingo (17/4).

Com leve melhora nos índices, Minas Gerais mudou outras seis regiões da onda roxa e para a vermelha, situação de 90% do estado. Apenas uma região permaneceu na onda roxa. E no Espírito Santo, as mudanças no mapeamento de risco permitiram a abertura de shoppings, com restrição no horário.


No Nordeste, o governo de Pernambuco identificou uma estabilização nos casos, internações e óbitos, mas em um patamar ainda alto. Por isso, manteve medidas restritivas até 9 de maio, com algumas liberações pontuais, como o comércio de praia em dias úteis e a ampliação do horário do comércio.

O estado do Ceará apresenta tendência de queda no cenário epidemiológico e liberou as atividades físicas em espaços públicos. Porém, manteve as medidas de isolamento rígido aos fins de semana. Em Sergipe, as medidas restritivas foram prorrogadas por mais uma semana, a contar desta sexta- (23/4).

A Paraíba liberou, até 2 de maio, o funcionamento com atendimento presencial de bares e restaurantes, além do setor de serviços e das atividades religiosas. O estado manteve, no entanto, a suspensão do retorno das aulas presenciais nas escolas das redes públicas estadual e municipais e nas escolas e instituições privadas dos ensinos superior e médio, entre outras medidas.

Na região Norte, o estado do Pará avançou para a bandeira laranja nas regiões Metropolitana 1 e 2, Nordeste, Marajó Oriental e Baixo Tocantins. Nesta fase, não há toque de recolher nem restrições de horário para o comércio e setor de serviços. Com alto nível de contágio, permanecerão em vermelho as regiões do Xingu, Carajás, Araguaia e Marajó Ocidental.

Em Rondônia, decreto liberou todas as atividades, serviços, estabelecimentos, industrias e comércios de segunda a domingo, com restrições que variam de acordo com a fase de retomada do município.

No Sul, a última matriz de risco potencial de Santa Catarina aponta que todas as regiões do estado estão em risco gravíssimo, com alta ocupação dos leitos de UTI por pacientes em tratamento da Covid-19. O dado impediu a edição de novas medidas de flexibilização das atividades econômicas. A capital Florianópolis também manteve as principais ações de isolamento, com liberações pontuais.

No vizinho Paraná, o toque de recolher foi mantido, contudo, o período será menor, começando às 23h, e não mais às 20h, e terminando às 5h. O estado manteve a suspensão das aulas presenciais da rede pública, mas ampliou o horário de restaurantes, comércio de rua e shoppings. A capital Curitiba não alterou as medidas restritivas da fase laranja.

E no Centro-Oeste, a capital federal liberou a abertura de exposições de arte e museus. O estado do Mato Grosso autorizou o funcionamento dos restaurantes, inclusive localizados em shopping centers. Em Goiás, a capital Goiânia liberou o funcionamento de atividades não essenciais até dia 27.

As principais medidas dos estados e capitais relacionadas ao enfrentamento da pandemia são acompanhadas diariamente desde abril do ano passado pelo sistema Tracking, desenvolvido pelo JOTA.


Sair da versão mobile