Jotinhas

PANDEMIA

Antecipação de feriados volta à cena para ampliar isolamento

Governos estaduais mantém restrições mas querem reforço do Governo Federal para fiscalizar entrada e saída dos estados

Marcelo Camargo/Agência Brasil

Depois do toque de recolher e tentativa de lockdown, a medida de antecipação de feriados voltou à cena, como forma de manter as pessoas em casa. O agravamento da situação epidemiológica do país tem motivado os governadores e prefeitos a diversificar as medidas e, dentro do possível, “unificar” o tom das restrições.

O estado do Piauí tirou esta semana um feriado tradicional do estado, celebrado normalmente só em outubro. A prefeitura de São Paulo também vai antecipar para o fim de março cinco feriados da cidade, dois de 2021 e  três de 2022, medida que pode ser adotada pelo governo estadual. E o prefeito do Rio de Janeiro também já anunciou que na próxima semana vai avaliar a antecipação de feriados. 

Outra medida que deve ganhar força é a instalação de barreiras sanitárias. No início da semana, o Fórum de Governadores pediu à União que sejam impostas restrições nos portos e aeroportos, além de rodovias e ferrovias. 

Segundo o Fórum, as restrições em vigor reduziram pela metade a movimentação de pessoas em todo o país. Contudo, os gestores estaduais alertam que é preciso atuação mais efetiva do governo federal.

Minas Gerais, que entrou esta semana totalmente na chamada onda roxa, determinou a medida de barreira em todo o estado. A barreira também já foi adotada no Ceará, Pará, está em vigor em algumas cidades do interior paulista e pode avançar por outros estados e municípios do país.

Bem como a renovação do estado de calamidade pública, como foi feita em Pernambuco, e a ampliação, na maior parte do país, do teletrabalho nos órgãos públicos, inclusive para servidores que não fazem parte dos grupos de risco.

Mesmo sob a vigência de medidas mais duras, alguns estados flexibilizaram o horário de funcionamento de algumas atividades. Mas não houve em nenhum estado ou capital,  medida de reabertura generalizada. 

No Centro-Oeste, o estado de Goiás retomou o esquema de revezamento, mantendo as medidas de fechamento por 14 dias, seguidos por outros 14 dias de abertura. E o Distrito Federal irá manter as medidas em vigor por mais uma semana. 

Leitos

A falta de leitos para o crescente número de pacientes com Covid tem levado os governos estaduais e prefeituras a prorrogarem a suspensão de cirurgias e outros procedimentos eletivos, bem como a interromperem as férias e folgas de profissionais de saúde, além de remanejar servidores de outras áreas para apoiar as ações de enfrentamento ao coronavírus. 

Também foram vários os chamamentos para contratos temporários de profissionais de saúde pelos estados e municípios esta semana e abertura de novos leitos. 

Compra das vacinas contra Covid-19

Findo o prazo para adesão ao Consórcio Nacional de Vacinas das Cidades Brasileiras – Conectar, além dos municípios que tiverem as leis sancionadas na semana passada, São Paulo, Teresina, Belém, Curitiba, Manaus, Recife, Boa Vista, Fortaleza, Rio de Janeiro, Natal,  Maceió, Porto Velho já publicaram as normativas. 

O protocolo foi firmado por mais de 1700 municípios, incluindo 24 capitais, que integram o  Conectar, coordenado pela Frente Nacional de Prefeitos.


Sair da versão mobile