Do Supremo

CNJ

Ajufe desiste de ação para evitar fim do auxílio-moradia

No STF, Barroso já tinha liberado caso para julgamento

A Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe) protocolou no Supremo Tribunal Federal um pedido de desistência da ação (AO 1.649) que podia levar a Corte a suspender o pagamento do auxílio-moradia aos magistrados do País.

A Ajufe desistiu do processo relatado pelo ministro Luís Roberto Barroso e que estava pronto para ser julgado pelo plenário. Barroso antecipou-se ao colega, ministro Luiz Fux, que havia concedido liminar (AO 1.773) para determinar o pagamento, mas não libera para o plenário o julgamento do caso.

Já há entre os ministros apoio suficiente para suspender o pagamento do benefício de R$ 4,3 mil a todos os juízes. Com o pedido de desistência – se deferido -, a continuidade do pagamento do auxílio-moradia permanecerá nas mãos do ministro Luiz Fux, que concedeu a liminar há mais de dois anos e que não dá indicação de quando liberará o caso para ser julgado pelo plenário.

Leia a íntegra do pedido da Ajufe.


Faça o cadastro gratuito e leia até 10 matérias por mês. Faça uma assinatura e tenha acesso ilimitado agora

Cadastro Gratuito

Cadastre-se e leia 10 matérias/mês de graça e receba conteúdo especializado

Cadastro Gratuito