Eleições

Eleições

Campanha de Bolsonaro pede ao TSE que seja retirado do ar vídeo que ataca o STF

Imagens de ministros são apresentadas após fotos de investigados por crimes de corrupção

A campanha de Jair Bolsonaro, do PSL, pediu ao Tribunal Superior Eleitoral que determine a retirada do Youtube de um vídeo atribuído ao candidato com críticas a ministros do Supremo Tribunal Federal.

O vídeo apresenta a imagem de ministros que, no plenário ou nas Turmas de julgamento, assumem posições mais garantistas ou críticas aos procedimentos adotados pela Operação Lava Jato, como Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski, Dias Toffoli e Marco Aurélio Mello, além de mostrar os ministros Celso de Mello e Alexandre de Moraes.

“Feito um mal que não tem cura, estão levando à loucura o Brasil que a gente ama”, diz a música atribuída à campanha. Em seguida, o vídeo mostra imagens de parlamentares petistas segurando cartazes com os dizeres “Lula livre”. Ministros do Supremo já circularam o vídeo entre si nesta sexta-feira pela manhã.

Os advogados da campanha afirmam que o vídeo não é oficial e prejudica a imagem do candidato.

“Ora, não restam dúvidas que o vídeo em questão prejudica a imagem do candidato representante, na medida que o coloca em linha de colisão com a atuação do Poder Judiciário brasileiro, induzindo o internauta a concluir que o mesmo seria antidemocrático e que, caso eleito, não respeitaria a atuação e decisões emanadas do dito Poder, o que não é verdade, considerando que o candidato representante sempre respeitou as decisões não só desse sodalício, mas de todos os juízos e tribunais pátrios”, afirmam os advogados na petição.

“Diga-se, por oportuno, que é imperiosa a necessidade de remoção do conteúdo identificado nestes autos não somente do link suso identificado, mas de qualquer outro que o veicule, de sorte a se evitar ofensa à imagem dos Representantes e dos dignos membros do Poder Judiciário que nele constam, em imagens”, acrescentaram.

O Ministério Público Eleitoral pede ainda a retirada do conteúdo do Whatsapp, onde o material tem sido compartilhado, inclusive por ministros do Supremo.

Bolsonaro já fez críticos abertas ao Supremo. Disse em entrevista que estudava ampliar a composição do STF para 21 ministros para colocar “para botar pelo menos dez isentos lá dentro”.

O ministro Carlos Bastide Horbach deferiu, no início da noite, a liminar para que o Google retire os vídeos do ar.

“Nesse contexto, é legítimo – e até mesmo louvável – que os representantes venham a juízo para coibir excessos em manifestações de apoio a sua candidatura, mas que, como antes destacado, difundem conteúdos prejudiciais a seus interesses eleitorais”, afirmou o ministro na decisão.

E acrescentou: “A iniciativa desta representação promove a integridade da comunicação entre os representantes e os eleitores e, ao mesmo tempo, orienta seus apoiadores no sentido da observância da legislação eleitoral e do exercício consciente da liberdade de expressão”.

Veja a íntegra da petição da campanha de Bolsonaro.

Vídeo de campanha Bolsonaro


Faça o cadastro gratuito e leia até 10 matérias por mês. Faça uma assinatura e tenha acesso ilimitado agora

Cadastro Gratuito

Cadastre-se e leia 10 matérias/mês de graça e receba conteúdo especializado

Cadastro Gratuito