Liberdade de Expressão

Reação

Entidades classificam como censura norma do CNJ sobre uso de redes por juízes

Para associações provimento é canalhice e trata magistrados como cidadãos de segunda categoria

Noronha notas taquigráficas
João Otávio de Noronha / Crédito: Luiz Silveira/Agência CNJ

Entidades que representam a classe dos magistrados reagiram à iniciativa do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) de editar uma regulamentação sobre o comportamento de juízes em redes sociais. Mordaça, canalhice e censura foram algumas das palavras usadas pelas associações, que prometem tomar providências para tentar anular o Provimento 71/2018, assinado pelo corregedor-nacional de Justiça, ministro […]

Leia este texto gratuitamente

Cadastre-se e tenha acesso a dez conteúdos todo mês.

cadastre-se agora. é grátis!

Informações confiáveis, assertivas e úteis. ​Leia e entenda por que o JOTA ​foi eleito a melhor startup de informação do mundo.