Ao Vivo

Pandemia

Assista ao webinar do JOTA sobre impeachment como arma política na América Latina

Debate conta com os cientistas políticos Anibal Pérez-Liñán e Marcus André Melo

Brasília - Para evitar confrontos entre manifestantes pró e contra impeachment a Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal definiu divisão de espaço na Esplanada dos Ministérios (José Cruz/Agência Brasil)

A pandemia do coronavírus pode influenciar a estabilidade política da América Latina? Para falar sobre os padrões empíricos de crises e analisar o momento atual, o JOTA recebe nesta quinta-feira (26/03), às 16 horas,  os cientistas políticos Anibal Pérez-Liñán e Marcus André Melo.

Pérez-Liñan e Melo são dois dos maiores especialistas na pesquisa de padrões de impeachments na América Latina e conversam o analista-chefe do JOTA em São Paulo, Fábio Zambeli, sobre como analisam a atual crise no Brasil, com o avanço dos casos da Covid=19.

A conversa faz parte da série de webinars diários que o JOTA está oferecendo aos assinantes, durante a pandemia da Covid-19, para discutir os efeitos na política e na economia. Todos os dias, tomadores de decisão e especialistas são convidados a refletir sobre algum aspecto da crise.

Pérez-Liñán é professor da Universidade de Notre Dame e editor-chefe da Latin American Research Review, o jornal acadêmico da Latin American Studies Association (Lasa). No livro Presidential Impeachment and the New Political Instability in Latin America, ele documenta e explica o uso emergente do impeachment presidencial como arma política.

Marcus André Melo é professor titular de ciência política da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Ele é Ph.D em ciência política pela Sussex University.

Entre os convidados dos webinar do JOTA, já participaram a presidente da CCJ do Senado, Simone Tebet (MDB-MS); o presidente da Comissão de Agricultura da Câmara, Fausto Pinato (PP-SP); o economista e presidente do Insper, Marcos Lisboa; além de representantes de instituições como a Frente Nacional de Prefeitos, a Confederação Nacional das Indústrias e a Associação Nacional dos Magistrados do Trabalho.